domingo, 1 de abril de 2007

Novas energias

Na passada semana, a 23 de Março, Pedro Marques Pereira, subdirector do Diário Económico, sob o título “uma verdade conveniente”, salientava a excelência do sector das energias renováveis em Portugal, afirmando mesmo que "no Portugal anémico e derrotista que nos habituámos a ver nos últimos anos, há um sector que destoa [o das energias renováveis]". Os exemplos eram vários: eólicas, hídricas, biomassa, solar, ondas e micro-geração. Em todos estes sectores com projectos muito interessantes.
Não sendo especialista na área, tenho lido que o grande obstáculo até aqui tem sido o custo da produção: visto serem tecnologias recentes, o custo do KW é ainda muito elevado. A este respeito, sigo com alguma atenção aquilo que se está a passar com a Nanosolar (www.nanosolar.com) que promete electricidade fotovoltaiva a preços muito mais baixos que os actuais. Parece lógico que no futuro, seja a luz solar a nossa principal fonte de energia. Para já, estamos na linha da frente a nível mundial, o que é excelente!

Sem comentários:

Enviar um comentário