sábado, 7 de julho de 2007

Oxalá!

O Candomblé

Sempre associei a palavra Oxalá ao Candomblé brasileiro [Oxalá foi o primeiro Orixá e o criador do homem a partir da lama]. Assim, das muitas vezes que disse “Oxalá” pensei no eventual poder protector dessa divindade, o que para um agnóstico, embora curioso, como eu, tem alguma carga supersticiosa.
.
. .
.
.
O Califado Islâmico em 750 DC (na Península Ibérica, apenas restou uma pequena bolsa cristã, nas Astúrias)
.
Na verdade, parece que a origem da palavra Oxalá se deve ao In ša’ Allāh árabe (com a licença de Alá, se Alá o permitir ou se Deus quiser) - mais uma prova, dizem, de que o nosso fatalismo tão português, é na realidade de origem árabe.
Significa também, que muitas vezes na nossa linguagem corrente, nos referimos sem o saber, a Alá.

Vem isto a propósito de um artigo do jornal Expresso publicado hoje - um dia que dizem ser de sorte porque tem muitos setes na data - intitulado, tão ao nosso gosto e de Nicolau Santos, “Portugal outra vez na moda”. O tema é sobre uma nova onda de investimentos estrangeiros em Portugal, mas agora de raiz tecnológica. Oxalá!

Sem comentários:

Enviar um comentário