sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Etimologias populares III - Freixo de Espada à Cinta


São várias as histórias que se contam e que dão nome à vila, sede de concelho. Importa primeiro saber que o freixo é uma árvore muito comum, e que em Portugal vários são os lugares e povoações com o nome de Freixo - como o Freixo de Ponte de Lima ou o Freixo de Marco de Canavezes. Ora, poderia ter existido naquele local uma povoação com o nome de Freixo, mas que devido à sua posição de fronteira, de defesa do território, ficou com o nome guerreiro de Freixo de Espada à Cinta. O foral é inicialmente concedido por D. Afonso Henriques e D. Sancho II eleva a povoação à categoria de Vila, mas é muito possível que o agregado populacional seja mais antigo ainda que a nacionalidade.
(Ver o interessante projecto 3D de reconstituição do castelo de Freixo de Espada à Cinta em http://www.freyxeno.com/)

Um dia, manhã muito cedo, vinha de Miranda para a Guarda. O Sol estava ainda a nascer e já tinha andado uns bons quilómetros, quando junto a Freixo de Espada à Cinta, próximo da zona da barragem de Saucelle começo a ouvir um som a ecoar fora do carro. Ouvia mal, dado que levava os vidros fechados porque estava fresco, embora fosse Verão. Abri então os vidros e imediatamente o volume aumentou, mas devido à deslocação do automóvel e ao ruído do motor, não me apercebi do que se tratava. Era um som estranho porque enchia o ar e não era localizado, não vinha de nenhuma direcção. Parei a viatura na berma e saí para fora para tentar compreender o que aquilo era. O barulho, muito alto, era provocado pelos muitos e muitos milhares de pássaros, invisíveis, que se encontravam dentro das árvores que enchiam as margens inclinadas do Douro.

No sítio da Câmara Municipal de Freixo de Espada à Cinta contam-se as seguintes lendas
(ver http://www.cm-freixoespadacinta.pt/?doc=46&menu2=7#inicio):

1- A vila foi fundada por um fidalgo de apelido “Feijão”, falecido em 977, primo de S. Rosendo, e como por armas no seu brasão figurariam um freixo com uma espada cintada, a vila tomou daí o seu nome.
2- Outra refere ter sido um nobre godo chamado «Espadacinta» que após uma batalha com os árabes nas margens do Douro e chegado a este lugar se sentou a descansar à sombra de um enorme freixo, onde pendurou a sua espada, perpetuando-se o nome à povoação que um pouco mais tarde se começou a formar: Freixo de Espadacinta.
3- Dizem ainda que El Rei D. Dinis, estando muito fatigado das guerras que mantinha com o seu filho bastardo, Afonso Sanches, e de passagem por esta terra se deitou a descansar à sombra de um freixo, onde cravou o seu cinturão com a majestosa espada. Adormecendo e embalado pela brisa suave que batia nas folhas da possante árvore sonhou que o espírito do freixo lhe traçava as directrizes mais sábias e correctas para o futuro do reino de Portugal. Quando o rei acordou deste revigorante descanso, decretou que a vila se passasse a chamar Freixo de Espada à Cinta.
O que é certo é que ainda hoje junto à Igreja Matriz e torre heptagonal que nos ficou do extinto castelo medieval, existe um velho freixo venerado e estimado pelo povo, por o considerar o mesmo destas lendas.
.
Vale a pena visitar Freixo de Espada à Cinta. Há alojamento na vila e também turismo rural com qualidade. Além da história e das paisagens, outros motivos de interesse são a gastronomia e o artesanato.

Sem comentários:

Enviar um comentário