sábado, 10 de novembro de 2007

O que é que o Mateus Rosé tem?

Há uma revista inglesa de música chamada Word. É uma espécie de Uncut. Também traz um CD e também transpira nostalgia, mas é menos comercial e tem melhores textos. Mas claro que a Uncut é mais conhecida e vende mais: tem melhor apresentação. Na revista deste Novembro da Word para meu espanto estava lá uma foto de Jimi Hendrix a beber um Mateus Rosé.

No sítio da Sogrape conta-se que a Rainha Isabel II de Inglaterra tinha por hábito encomendar o vinho Mateus quando jantava no Hotel Savoy, que Gulbenkian insistia ter Mateus à mesa de jantar [conjuntamente com bonitas actrizes do vaudeville, vejam lá o malandro] e que numa cimeira dos movimentos de libertação independentistas na Nigéria, Amilcar Cabral, Agostinho Neto e Samora Machel terão brindado pela vitória dos seus movimentos com Mateus Rosé. Calcula-se que o vinho Mateus terá vendido mil e dez milhões de garrafas até hoje. Não acredito em falta de imaginação nem em tantas coincidências.
Amanhã, pela primeira vez na vida, juro que vou comprar uma garrafa...das pequenas. O que é que o Mateus tem?

Sem comentários:

Enviar um comentário