quarta-feira, 9 de abril de 2008

Nocturnos de Gonçalves Crespo (1846-1883)




.


.


.


.

.
Gonçalves Crespo nasceu no Brasil e era filho de pai português; veio a casar com outra importante figura da cultura portuguesa, Maria Amália Vaz de Carvalho.
.
As Ondinas

Na praia tranquila murmuram sonoras
As ondas do mar.
E, ao doce das águas murmúrio palreiro,........
[palreiro = falador]
Na areia dormita gentil cavaleiro
Á luz do luar.

As belas ondinas emergem das grutas
De vivo coral,
Acorrem ligeiras, e apontam, sorrindo,
O moço que julgam deveras dormindo
No argento areal.

Vem esta, e perpassa do gorro nas plumas
As mãos de cetim.
E aquela, com gesto divino, gracioso,
Nos ares levanta do jovem formoso
O aureo telim................................................[telim = moedas, dinheiro]

Ess’outra, que lavas, que fogo não vibram
Seus olhos de anil!........................................[anil = azul indigo]
Debruça-se e arranca-lhe a rútila espada,......[rútila = brilhante]
Nos copos brilhantes se apoia azougada,........[azougada = esperta, viva]
Travessa e gentil.

A quarta, saltando, retouça, lasciva,....................[retouça = brincalhona]
Do moço em redor;
Suspira mansinho, de manso murmura:
“Pudesse eu em vida gozar a ventura
Do teu fino amor!”

A quinta rebeija-lhe as mãos, enlevada
Num sonho feliz,
E a sexta, com trémula e doce esquivança,
Perfuma-lhe a boca, formosa criança!
Com beijos subtis...

E o moço, fingindo que dorme tranquilo,
Não quer acordar.
E deixa que o abracem as belas Ondinas,
E lânguido goza carícias divinas..............................[lânguido = voluptuoso]
Á luz do luar...


Na Aldeia

Duas horas da tarde. Um sol ardente
Nos colmos dardejando, e nos eirados.
Sobreleva aos sussurros abafados
O grito das bigornas estridente.

A taberna é vazia; mansamente
Treme o loureiro nos umbrais pintados;
Zumbem á porta insectos variegados,............
[variegados = vários]
Envolvidos do sol na luz tremente.

Fia á soleira uma velhinha: o filho
No céu mal acordou da aurora o brilho,
Saiu para os cansaços da lavoura.

A nora lava na ribeira, e os netos
Ao longe correm semi-nús, inquietos,
No mar ondeante da seara loura.


O Juramento do Árabe

Baçús, mulher de Ali, pastora de camelas,
Viu de noite, ao fulgor das rútilas estrelas,.......
[rútilas = brilhantes]
Wail, chefe minaz de bárbara pujança,..............
[minaz = ameaçador]
Matar-lhe um animal. Baçús jurou vingança;
Corre, célere vós, entra na tenda e conta
A um hóspede de Ali a grave e inulta afronta....
[inulta = impune]

“Baçús, disse tranquilo o hóspede gentil,
Vingar-te-ei com meu braço, eu matarei Wail.”

Disse e cumpriu.

Foi esta a causa verdadeira
Da guerra pertinaz, horrível, carniceira
Que as tribos dividiu. Na luta fraticida
Omar, filho de Amrú, perdera o alento e a vida.

Amrú que lanças mil aos rudes prélios leva,..........
[prélios = combates]
E que em sangue inimigo, irado, os ódios ceva,..
[ceva = alimenta, faz crescer]
Incansável procura, e é sempre embalde, o vil...
[embalde = em vão]
Matador do seu filho, o tredo Muhalhil................
[tredo = falso]

Uma noite, na tenda, a um moço prisioneiro,
Recém colhido em campo, o indómito guerreiro
Falou severo assim:
“Escravo, atende e escuta:
Aponta-me a região, o monte, o plaino, a gruta,
Em que vive o traidor Muhalhil, diz a verdade;
Dá-me que o alcance vivo, e é a tua liberdade!”

E o moço perguntou:
“É por Alá que o juras?”
- Juro, o chefe tornou –
“Sou o homem que procuras!
Muhalhil é o meu nome, eu fui que espedacei
A lança de teu filho, e aos pés o subjuguei!”

E intrépido fitava o atónito inimigo.

Amrú volveu: - “És livre, Alá seja contigo!”

Significados extraídos do antigo Diccionário enciclopédico luso-brasileiro Lello Universal coordenado por João Grave e Coelho Netto

Sem comentários:

Enviar um comentário