sábado, 2 de outubro de 2010

“Boa definição” de Cornélio Pires

Do livro “Patacoadas” de Cornélio Pires, edição da Companhia Editora Nacional de São Paulo.

O livro que tenho é já a quarta edição (22º milheiro) da edição brasileira de 1929. O número de exemplares do livro é extraordinariamente alto para a época. Aliás Cornélio Pires, mais que um humorista, e é notável este livro, é uma importante figura da cultura brasileira da primeira metade do século vinte. Para ter uma ideia, ver por exemplo na wikipedia, os sítios brasileiros boamusicaricardinho ou aprovincia que realçam a importância de Cornélio Pires para a divulgação da música e da cultura caipira, ou ainda pcastro, acerca do museu de Tietê - município do Estado de São Paulo - terra natal de Cornélio Pires.

BOA DEFINIÇÃO

Tanto se falou em Socialismo, ao ruir dos tronos na Europa, que a palavra chegou aos ouvidos caipiras.
O Ponciano encontrando-se com o Juvêncio, perguntou-lhe:
- Compadre: tive na Vila e vi uns home falano de Suçalismo... o que é que vem a sê isso?
- É ua moda nova de vivê que tão inventano... muito bão!
- Como é?
- Vacê qué vê o que é Suçalismo? – Meu cachimbo tá vasiu e eu num tenho fumo... Vacê tem um tostão aí?
- Tenho.
- Vacê me dá o tostão, eu compro o fumo, encho o cachimbo, e vô sô esfumaceano...
- Uéi! Eu dei o tostão... vacê pita(*)... e eu o que é que faço?
- Mecê góspe... isso que é Suçalismo...(**)


(*) No Glossário Sertanejo em violatropeira, “pito” é cachimbo. O verbo “pitar” deverá significar “fumar cachimbo”.

(**) Claro que incluí este artigo no meu blogue, a pensar não só na figura de Cornélio Pires, mas também na deplorável situação económica e política do país, e em alguns dos meus familiares e bons amigos, que apesar de - na minha opinião - todas as evidências em contrário, ainda nutrem simpatias pelo ideário socialista de várias tonalidades. 

--Este artigo foi escrito em conformidade com o novo acordo ortográfico (com a ajuda dos programas Word e Flip)--

Sem comentários:

Enviar um comentário