domingo, 12 de fevereiro de 2012

O manguito anti-caloteiros do Zé Povinho

Figura de Rafael Bordalo
Pinheiro, 1902
.

Peço desculpa pela brejeirice deste artigo, mas é a única forma de falar do Zé Povinho, símbolo português do homem do povo. O inventor do Zé Povinho foi Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905). Ao que se sabe a figura apareceu pela primeira vez em 1875 para protestar contra os impostos, na revista Lanterna Mágica. Daí para a frente, torna-se numa figura popular. Contudo, só mais de vinte anos após a sua criação, é que Rafael Bordalo Pinheiro, na Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha (projeto conjunto com Ramalho Ortigão), inventa a figura do Zé Povinho a fazer um manguito, o famoso TOMA.

Não é clara a origem da palavra “manguito”. No dicionário pode ser entendido como uma manga pequena, um regalo de peles (cilindro oco de pele para proteção das mãos contra o frio), ou o gesto obsceno com um braço dobrado sobre o outro, e a mão levantada fechada, que conhecemos ao Zé Povinho. O gesto e a palavra têm correspondência com o “corte de manga” espanhol e o “bras d’honneur” francês. Não sei qual a origem do gesto, mas não é um exclusivo português. No Brasil usa-se a expressão “dar uma banana”. Em qualquer dos casos, é sempre um símbolo fálico e pretende ofender a quem é dirigido.

A primeira menção escrita conhecida do “manguito” remonta ao século XVII, de D. Francisco Manuel de Melo (1608-1666) na Feira de Anexins, numa discussão de trocadilhos entre três personagens:

— Você para a minha defesa, vale mais que uma manga (1) de mosquetería.
— Com que (2), só com o meu mangalho (3) se acha você bem?
— Olhem o mangaz (4), o pago que me dá !
— Até aquí, meus amigos, vai isso muito frio : necessitam os chistes(5) de manguito (6).

Notas da minha responsabilidade:
(1)    Manga – grupo, turma.
(2)    Com que – Porquê
(3)    Mangalho – Pénis grande
(4)    Mangaz – Desavergonhado
(5)    Chistes –  gracejos
(6)    Manguito – de pequeno mango (7).
(7)    Mango – pénis, cabo de ferramenta.

Como se pode ver, a utilização de “manguito” nada tem que ver com manga, de peça de vestuário, mas com mango, ou pénis. Parece ser lógico estar aqui a origem da expressão. O uso em Espanha de “corte de manga”, poderá ser uma corruptela do português.
Do atrás exposto, também não parece ser o manguito, uma variante ou derivante da figa - que vem do tempo dos romanos, imaginem. Nesta hipótese, o manguito seria uma espécie de figa mas em tamanho grande, não com os dedos (o polegar entre o indicador e o médio), mas com os braços. O popular “fazer figas” é torcer, fazer força, um gesto de magia, contra o Diabo ou algo que achamos que nos é prejudicial. A figa afugenta as coisas más e não é um insulto como o manguito.

Recentemente surgiu um Zé Povinho contra a agência Moody’s que atribuiu uma classificação de “lixo” à dívida portuguesa, mas é no retalho, nas lojas e restauração que encontramos mais frequentemente a figura do Zé Povinho. E lá está o célebre manguito, associado à frase “Queres fiado? Toma!”.

Tal como quando foi criado, nos dias de hoje, políticos irresponsáveis e caloteiros sem juízo, merecem um muito bem feito manguito do Zé Povinho. Aqui vão, pois:


Sem comentários:

Enviar um comentário